Carregando...
MERCADO DIGITALVarejo Digital

Canais de venda: como a diversificação pode beneficiar seu negócio?

Canais de venda: como a diversificação pode beneficiar seu negócio?

Escolher os canais de venda do seu negócio é um passo que exige cuidado. Descubra no artigo como combinar mais de um deles pode alavancar suas vendas!

 

Um importante passo para quem quer vender online é a definição de seus canais de venda. Nesse momento, é tomada a decisão de por onde os produtos serão comercializados.

Essa escolha precisa ser feita de forma estratégica, a partir do conhecimento de quem é seu público e, idealmente, sua persona. Saber quem é seu consumidor vai permitir que os meios por onde você vai vender seus produtos sejam, realmente, os locais onde os clientes vão encontrá-lo.

Muitas vezes pensamos, de forma simplificada, que o consumidor vai estar apenas em um desses locais. Entretanto, a jornada do cliente é mais complexa do que um caminho único e linear.

Nesse contexto, diversificar os canais de venda do seu negócio ao vender pela internet pode ser uma boa estratégia. Por isso, a seguir, vamos conhecer os principais meios para venda online e, na sequência, os benefícios de estar em mais de um deles.

Principais canais de venda online

Como já vimos, um canal de vendas é um meio por onde você comercializa seus produtos. Eles podem ser uma loja física ou um site de vendas, por exemplo.

Vamos nos aprofundar nos principais deles na internet, além de conhecer seus prós e contras. Acompanhe:

Loja virtual

Ao criar uma loja virtual, você terá seu próprio site para exibir os produtos e escolher os meios de pagamento e de envio que se adaptarem melhor às suas necessidades. As cores, o logo, a forma como as fotos serão expostas… Tudo vai ser da forma como você definir.

Seu site poderá ser criado do zero, com a ajuda de um desenvolvedor, ou a partir da tecnologia de uma plataforma de e-commerce. Na primeira opção, você mesmo precisará negociar com intermediadores de pagamento e com transportadoras, ao passo que, na segunda, essas integrações podem ser feitas muito facilmente, em geral com poucos cliques.

Vale ter em mente, todavia, que você precisará construir sua audiência progressivamente. Por isso, será importante considerar estratégias de atração de visitantes em seu plano de marketing.

Marketplace

Um marketplace é uma espécie shopping center virtual em que vendedores podem expor seus produtos para os milhões de clientes que visitam esses sites todos os dias. Um exemplo muito famoso desse tipo de negócio é o Mercado Livre.

Apesar de seus artigos ficarem muito em evidência nos marketplaces, para ser um vendedor nesse canal é preciso seguir algumas regras específicas, que vão variar de marketplace para marketplace. Em geral, são cobradas altas taxas sobre os produtos vendidos — que podem chegar a quase 20% do valor — e o lojista fica totalmente sujeito a diretrizes externas ao negócio.

Além disso, ao vender apenas por marketplaces, fica mais difícil trabalhar sua marca. Isso porque os produtos são exibidos todos de forma padrão e a loja fica pouco em evidência. Nesse contexto, o consumidor dificilmente vai se lembrar do lojista, mas, sim, do marketplace em que comprou.

Redes sociais

As redes sociais têm mais de 150 milhões de usuários no Brasil, conforme aponta o estudo Data Reportal. E, mais do que um meio de lazer, elas se tornaram também um canal de vendas.

Nesse contexto, vender pelo Instagram e pelo Facebook pode ser uma ótima forma de atingir os clientes que tenham contas nesses sites. A facilidade de publicação de fotos e vídeos, além dos diversos recursos disponíveis, também contam a favor desse canal.

Todavia, vale ter em mente que, apesar de a função para comércio digital existir, ela não é o objetivo principal das redes sociais. Dessa forma, toda a organização de pagamentos e entregas das mercadorias precisará ser feita manualmente por você.

Benefícios de combinar mais de um canal de vendas

Como pudemos observar, cada um dos canais de venda tem seus pontos positivos e negativos. Por isso, essa escolha requer mais cuidado do que pode parecer à primeira vista. No entanto, ao combinar mais de um deles, é possível aproveitar os benefícios e minimizar o lado ruim.

Não é necessário combinar os três canais de venda citados neste artigo ao mesmo tempo. Conforme já citamos, tudo vai depender de quem é seu público. Contudo, uma recomendação é a de que você tenha seu próprio site.

Ao ter seu próprio e-commerce, você garante que um dos seus canais não dependerá de outras empresas, como a do marketplace ou da sua principal rede social. Desse modo, caso haja uma mudança brusca em alguma diretriz que impeça suas vendas de continuarem rentáveis por esses meios, você ainda terá sua loja.

Além disso, ao ter uma loja virtual, muitas vezes, é possível integrar ao mesmo painel de vendas os pedidos das redes sociais e de marketplaces. Dessa forma, você será capaz de ter controle sobre seu negócio de forma mais organizada.

Entendido?

Escolher por onde vai vender seus produtos, apesar de parecer simples, exige muito conhecimento a respeito do próprio negócio. Muitas vezes, os empreendedores levam em conta apenas os custos que cada um terá, mas é preciso considerar também que retornos podem vir a médio e longo prazo.

Então, está pronto para diversificar seus canais de venda?

Informações da autora

Victoria Salemi é a editora responsável pelas parcerias de conteúdo da Nuvemshop, a maior plataforma de comércio digital da América Latina, com mais de 30 mil lojas ativas. Formada em Jornalismo, ama escrever e tornar assuntos complicados acessíveis a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + dezoito =