Carregando...
Capacitação

SEO: como rankear no Google

SEO: como rankear no Google

Por Rocky Agência

O primeiro lugar na SERP, página de resultados de busca, é o sonho de qualquer e-commerce. Entretanto, para alcançar essa posição é preciso fazer otimizações e desenvolver aplicações técnicas de como rankear no Google.

Utilizar o Search Engine Optimization (SEO) em português, otimização para mecanismo de busca, é uma das estratégias fundamentais para alcançar melhores resultados orgânicos.

Você quer melhorar seu posicionamento no Google, para trazer mais visibilidade a sua marca e conversões no e-commerce? 

Conheça a seguir algumas boas práticas que podem te ajudar em como rankear no Google.

A importância de rankear bem no Google

Se você tem um e-commerce, rankear bem no Google é crucial para trazer visibilidade orgânica. 

A visibilidade orgânica, também chamada de tráfego, é aquela que não precisa de investimento financeiro, pois aparece espontaneamente como solução para o usuário. 

Em SEO, trabalha-se com estratégias e otimizações que fazem com que o site tenha uma melhor classificação entre os concorrentes. Esse é um ponto fundamental para sair na frente deles, literalmente. 

Os usuários costumam acessar os primeiros resultados de busca, por isso, se você estiver melhor posicionado que os concorrentes, terá mais chances do consumidor entrar em seu site.

E quanto mais tráfego você tiver, maior será sua entrega na SERP e seus resultados em conversões e receita aumentarão. 

Você sabe qual a melhor forma de obter visibilidade orgânica em seu site? Continue lendo que vamos mostrar as melhores estratégias de SEO para e-commerce. 

Como funciona o algoritmo do Google

O algoritmo do Google é um conjunto de operações que define a forma como os resultados das buscas serão apresentados aos usuários. Ele tem o objetivo de melhorar a experiência de busca e de navegação. 

O Google se atualiza praticamente todos os dias, ou seja, os algoritmos estão em constante mudança, se tornando cada vez mais complexos. 

Além de bloquear as más práticas, eles valorizam os sites que entregam bons resultados. 

Ninguém sabe exatamente o que leva à primeira posição, mas nesse post vamos te mostrar algumas das melhores estratégias de como rankear no Google.

As melhores estratégias de como rankear no Google

Um tablet com a página de pesquisa do Google aberta
A missão do Google é “organizar as informações globais e torná-las universalmente úteis e acessíveis”

O Google prioriza a relevância dos resultados baseado em mais de 200 fatores de rankeamentos, a maioria deles ainda é um segredo.

É vital entender as mudanças que o buscador tem feito e investir em estratégias de SEO para e-commerce que funcionem para o seu negócio. 

O objetivo do SEO é chegar nas primeiras posições na SERP. Para isso, são analisados alguns pontos nos sites e mudanças são feitas para que estejam dentro das características determinadas como ideais.

As estratégias mais relevantes para o Google são: 

  • Pesquisa de palavra-chave;
  • Velocidade de carregamento da página;
  • Design responsivo para mobile;
  • Otimização de tags on page (Título e meta description);
  • Sitemap;
  • Robots.txt.

Pesquisa de palavra-chave

O primeiro ponto que devemos observar quando pensamos em como rankear no Google é a palavra-chave. 

A palavra-chave é o foco do seu texto e precisa ser usada e estar presente de forma inteligente, mas não se deve exagerar quanto ao seu uso. 

Fazer uma boa pesquisa de palavras-chave é fundamental para determinar qual é a mais apropriada para cada momento. É preciso ter em mente sua facilidade de ranqueamento e volume de busca.

Muitas vezes as palavras-chave com maior volume de busca são as mais difíceis de rankear, portanto segmentar seu conteúdo pode ser a melhor opção.

Uma dica é utilizar palavras-chave long tail, pois apesar delas possuírem menor volume de busca, elas são mais direcionadas e menos concorridas.

As long tails são palavras-chave são mais longas e mais específicas, ao contrário das head tails que são mais curtas e mais abrangentes. Com as long tails é possível segmentar seu conteúdo e obter mais cliques

Velocidade de carregamento da página

Hoje em dia, não precisamos mais esperar longos minutos para abrir um site na internet. Em consequência disso, a velocidade de carregamento é determinante quando falamos de SEO para e-commerce

Se um site não tem boa velocidade de carregamento, ele vai trazer uma péssima experiência ao usuário. Por isso, é muito natural que páginas que demoram a carregar façam com que potenciais clientes desistam e não retornem mais.

O carregamento ruim, além de ser encarado pelo Google com maus olhos, também acarreta uma taxa de permanência muito curta no site. 

E esses dois fatores podem fazer com que sua página caia muito no ranking do buscador.

Design responsivo para mobile

A tela de um celular com o plano de fundo vermelho, focando no ícone do Google
As técnicas de SEO quando bem usadas podem gerar grande volume de tráfego orgânico ao seu site.

Segundo a Smart Insight, nos Estados Unidos, 60% das buscas no Google são feitas por dispositivos móveis. Já no Brasil, 55% dos usuários fazem buscas pelo celular. 

O aumento do uso de smartphones mudou drasticamente a forma como usamos a internet. 

Em 2017, o Google anunciou que os sites que não tivessem adaptação para mobile não alcançariam altas posições no buscador.

Ter um design responsivo significa possuir o layout adaptável para diferentes dispositivos, se ajustando às diversidades de cada um, sem comprometer a experiência do usuário.

Esse tipo de design também influencia na velocidade de carregamento da página.

Otimização de tags on page (Título e meta description)

As tags on page são textos que o usuário vai ler na página, por exemplo, o título e a meta description

É indispensável ter um título e uma meta descrição otimizados, porque eles são o primeiro contato que o leitor tem com o conteúdo do site. 

Otimização do título

O título é a cara do seu texto e ele deve auxiliar o usuário a encontrar rapidamente o que procura. Para isso, ele precisa refletir exatamente o que o conteúdo do texto traz. 

Por esse motivo, ele deve passar uma mensagem clara e coerente com o tema da pesquisa. É essencial que o título tenha a presença da palavra-chave. 

Ele também precisa ser chamativo, para capturar a atenção do leitor, fazendo com que ele escolha o seu site e não o concorrente.

Otimização da meta description

A meta descrição é um breve resumo sobre o conteúdo presente na página. Ela deve ter cerca de 153 caracteres e conter a palavra-chave.

A meta description não é um fator de rankeamento indexado pelo Google, mas serve de isca para atrair mais usuários de forma orgânica. Então, deve passar uma mensagem direta e chamativa. 

Uma dica é incluir uma chamada para ação (CTA), incentivando o usuário a clicar em seu site. 

Sitemap

O sitemap é basicamente o mapa do site e nele precisa estar todo o seu conteúdo, incluindo páginas não visíveis aos usuários. Esse único arquivo tem a função de facilitar o trabalho do Google em entender a estrutura do site. 

Com esse arquivo, o Google pode analisar e entender se essa página está boa o suficiente para indexar os conteúdos do site. 

Uma dica é utilizar a plataforma WordPress, em que você pode gerar automaticamente o sitemap via plugins.

Robots.txt

Os robots.txt têm a serventia de bloquear páginas que o Google não pode indexar, como um carrinho de compras, informações sensíveis de usuário e informações de administradores. 

Nesse arquivo, que se localiza no servidor do site, são bloqueadas as páginas que não vão chegar ao usuário.

Na prática, os robots.txt contém agentes de instrução, permissão e proibição.

Ferramentas de SEO

O cenário da imagem é uma sala, com um sofá de fundo. O foco está na mesa onde há um computador com métricas em sua tela, um copo de água, papel, caneta e uma calculadora. Sentado na mesa há um homem de terno e relógio, usando um tablet com as mesmas métricas do computador.
A maioria dos usuários utiliza o celular para fazer pesquisar no Google e hoje em dia, é uma obrigação ter um design responsivo.

Agora que você já sabe as melhores estratégias de como rankear no Google e ter boa classificação, deve estar se perguntando como realizar todas essas boas práticas.

Nós separamos uma lista com algumas ferramentas, usadas no dia a dia da nossa equipe de SEO, que podem te ajudar. 

Screaming frog

Essa plataforma tem a função de buscar por erros nas tags on page (títulos, meta description, H1 e outros). 

Ela lê o sitemap a partir do domínio raiz e a partir disso, analisa todas as páginas do site e identifica erros de indexação, redirecionamento e as diretrizes das tags on page. 

Google Search Console 

Com essa ferramenta é possível visualizar todas as informações orgânicas do domínio.

O Google Search Console permite o monitoramento de impressões, números de cliques, taxa de rejeição, entre outros. 

Com ele podemos analisar, em um determinado período, se as métricas estão caindo e entender o porquê disso.

Semrush

O Semrush é uma plataforma de busca de palavras-chave

Ele permite visualizar os resultados orgânicos das páginas do site, o posicionamento das palavras-chave e o desempenho de cada uma delas por página.

Além disso, é possível visualizar a autoridade do site e comparar com a dos concorrentes. 

O Semrush é uma ferramenta de monitoramento completa e ainda permite extrair listas que podem ser usadas fora da plataforma.

Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta que apresenta as estatísticas de visitação de um site. 

Com o Google Analytics é possível observar a localização geográfica do usuário, a forma como ele chegou até a página, sua idade e outros dados interessantes. 

Esses dados podem ser analisados em períodos diários, semanais, mensais e anuais.

Embora muitas pessoas vejam o Google Analytics apenas como uma ferramenta de monitoramento de tráfego, ela pode ser crucial para tomada de decisões em SEO para e-commerce.

O que não fazer 

Quando estamos aprendendo a como rankear no Google, existem algumas práticas que o buscador reprova, chamadas de Black Hat.

As Black Hat são técnicas antiéticas, que são feitas apenas com o intuito de impulsionar o posicionamento orgânico da página, sem se importar com o conteúdo e com a experiência do usuário

Algumas delas são repetir várias vezes a palavra-chave, gerar uma grande quantidade de links de outros sites, incluir palavras-chave escondidas do usuário e que somente robôs dos buscadores visualizam.

Isso tudo oferece uma experiência ruim ao usuário e também vai contra a missão do Google.

As técnicas Black Hat infringem as diretrizes do Google e são passíveis de punições e até exclusão do site que a usar pelo buscador.

Para penalizar quem utiliza essas técnicas, o Google vem constantemente fazendo atualizações em seu algoritmo, implementado regras que melhorem as práticas.

Como rankear no Google: conclusão

Mesa de madeira, posicionada a frente de um jardim com um computador aberto na página do Google e um celular desligado ao lado.
Utilize das White Hat para melhorar o seu posicionamento no Google e implementar um bom SEO para e-commerce

Descobrir as melhores técnicas de como rankear no Google precisa de estudo. Conheça o seu público-alvo e entenda os desejos dele. 

Para o seu site alcançar um bom posicionamento no Google, o usuário precisa estar satisfeito tanto com o layout da página, quanto com o conteúdo da mesma. 

Umas das estratégias mais importantes de como rankear no Google é estar sempre atento às atualizações do buscador.

Mantenha as boas práticas e utilize das White Hat (técnicas que vão a favor das diretrizes do Google). Elas são eficazes a médio e longo prazo e não geram punições para o site que as utiliza.

Segundo as diretrizes do Google, criar conteúdo original e de qualidade, pensando na experiência do usuário é a melhor técnica de rankeamento.

Deseja melhorar seu posicionamento no Google e implementar as estratégias de SEO em e-commerce ou em seu site? Entre em contato conosco! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − sete =