Carregando...
MERCADO DIGITAL

O que esperar do e-commerce com a retomada da economia

O que esperar do e-commerce com a retomada da economia

por Fernando Mansano

Nos últimos meses temos visto e sentido o impacto do isolamento social, não só na saúde mas também na economia, o que causou sequelas inestimáveis. No entanto o comércio eletrônico chamou a responsabilidade e teve papel imprescindível para ajudar as pessoas e as empresas, e isso não deve acabar com a retomada das atividades presenciais nos próximos dias, nem no futuro e tão pouco com o fim da pandemia. O que esperar para o futuro e como se preparar?

De toda crise é natural e de grande sabedoria termos aprendizados e sem dúvida tivemos muitos, desde rever valores humanos até questões estratégicas das empresas, como utilizar mais a tecnologia e a internet ao seu favor.

No âmbito do comércio eletrônico, vimos a disparada das vendas, chegando em abril a 81% de crescimento comparado ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento do Compre&Confie. Esse comportamento do aumento de consumo online era esperado mais em produtos de primeira necessidade, porém o crescimento ocorreu em diversos setores da economia, como por exemplo (+294,8% em relação a abril de 2019), Instrumentos Musicais (+252,4%), Brinquedos (+241,6%), Eletrônicos (+169,5%) e Cama, Mesa e Banho (+165,9%).

Ou seja, essa pandemia quebrou a bola de cristal de muitas pessoas, mesmo grandes especialistas de mercado, o que mostra que temos que estar mais atentos e receptivos a oportunidades de melhorar os nossos negócios, analisar e empregar melhor o uso da tecnologia, otimizar processos, ou seja, evoluir.

Agora vemos que diversos Estados e Municípios já flexibilizaram a abertura de diversas empresas e precisamos certificar que realmente colocaremos em prática o aprendizado desta crise.

Seguem algumas dicas ou diretrizes:

1 – Coloque o digital como prioridade na sua empresa. Esse assunto precisa estar na pauta de reuniões gerenciais, de diretoria e departamentais, não pode cair no esquecimento ou voltar a rotina e abandonar o que foi iniciado ou aprimorado durante o isolamento social.

2 – Diversifique seu modelo de negócio, fontes de renda e canais de venda. Você já deve ter escutado inúmeras vezes aquela frase das finanças que diz que não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta.

3 – Inove! Sempre dá para melhorar algo na empresa, não precisa inventar algo que ninguém faz, mas simplesmente fazer algo de uma forma mais ágil, mais inteligente, mais econômica ou mais rápida.

4 – Seja um especialista no Digital e no E-commerce. Seja empreendedor ou colaborador, você precisa conhecer mais, se desenvolver e estar continuamente aprendendo mais sobre esse mundo online, pois é muito competitivo (e será ainda mais a partir da pandemia de COVID-19).

5 – Olhe para seu cliente e atenda-o. Sua empresa precisa ter presença aonde seu cliente está e da forma que ele gostaria de se relacionar com a sua empresa, desde o atendimento até a venda. Repense todas as atividades do seu negócio, os pontos de contato com seu público e esteja lá, pois se queremos atender bem nosso cliente, esse é o mínimo que ele espera de você.

Acompanhei muitas empresas com dificuldades e conseguiram encontrar caminhos nessa crise, já outras tiveram um grande sucesso de vendas e de forma unânime, todas disseram terem descoberto um canal de vendas e de relacionamento com o cliente que trouxe uma contribuição importante para a organização e não pretendem tirar o pé, muito pelo contrário, querem dominar mais e somar ao resultado das vendas presenciais, ou até ser o principal canal da empresa. No entanto não existe uma receita para todas as empresas, mas tenho certeza que se você seguir essas orientações, tiver foco, buscar apoio e levar muito a sério as lições aprendidas nessa pandemia de Coronavírus, você profissional ou empresário terá muito sucesso no e-commerce, na profissão ou nos negócios.

 

Autor: Fernando Mansano

Empreendedor e especialista em e-commerce com 19 anos de experiência no setor. Reconhecido como um dos melhores profissionais de e-commerce da América Latina (Prêmio E-commerce Brasil e ABComm). Coautor do livro “Gerente de E-commerce”, Diretor da ABComm, Membro da Academia E-commerce Brasil, Palestrante nos principais eventos de e-commerce do país, Docente em cursos de pós-graduação em e-commerce e Fundador do ComEcomm (Comitê de Líderes de E-commerce). Sólida experiência em plataformas de e-commerce como Diretor da Jet E-commerce e Fundador da plataforma Idealeware. Em sua carreira já atendeu importantes lojas virtuais como Netfarma, E-cadeiras, Unilever, Sergio K, Zema e Santa Helena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =