Como diminuir a pegada de carbono do seu e-commerce? – Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico
Carregando...
SUSTENTABILIDADE

Como diminuir a pegada de carbono do seu e-commerce?

Como diminuir a pegada de carbono do seu e-commerce?

Com os compromissos registrados na COP27, parece que finalmente as discussões sobre uma agenda de redução dos impactos ambientais vai sair do papel. E isso também pode impactar as lojas virtuais, principalmente no que diz respeito a boas práticas de UX para e-commerce.

Isso mesmo, os negócios digitais também precisam se preocupar com sustentabilidade! Segundo dados do Internet Health Report, somente os data centers da Internet já podem ter a mesma pegada de CO2 que as viagens aéreas internacionais. Além disso, estima-se que, em 2025, as tecnologias de comunicação global serão responsáveis ​​por mais emissões de carbono do que qualquer país, exceto China, Índia e Estados Unidos.

Se hoje as sacolas plásticas são o grande vilão do ecossistema, muito em breve a internet – e, consequentemente, as lojas virtuais e compras online – estarão na mira dos consumidores ecologicamente responsáveis. E este público está crescendo!

Por isso, neste conteúdo vamos explicar como diminuir a pegada de carbono do seu e-commerce com dicas práticas de design sustentável.

Mudança de comportamento de compra

Segundo o estudo Who Cares Who Does (WCWD), realizado pela Kantar em 2021, a pandemia aumentou os níveis de reflexão sobre os impactos humanos na natureza. Atualmente, 62% dos consumidores latino-americanos são ecologicamente sustentáveis quando vão às compras e, nos próximos 10 anos, mais da metade da população deve se encaixar no perfil de consumidor Eco Ativo.

Ou seja, se hoje as pessoas estão optando por marcas com embalagens recicláveis e produtos com selos orgânicos, amanhã o Google poderá priorizar sites sustentáveis que tenham menos consumo de energia e diminuam o impacto ambiental. Não é mesmo?

O Google já está priorizando alternativas sustentáveis. Quando buscamos por passagens aéreas, por exemplo, o buscador prioriza voos com redução na emissão de CO2.

A seguir você vai ver algumas dicas de como ter um site mais sustentável e pensar em para um futuro, que está bastante próximo.

Manifesto por uma web mais sustentável

Antes de tudo vamos entender o que seria um site sustentável, segundo as seis premissas do Sustainable Web Manifesto (Manifesto por uma web mais sustentável). O documento foi criado em maio de 2019, por Tom Greenwood e outros colaboradores. 

A ideia foi inspirada nos princípios de design sustentável de Edwin Datschefski: cíclico; solar; seguro; e eficiente.

“Senti que a criação de um conjunto de princípios igualmente simples para a web poderia ajudar a orientar e inspirar o setor digital a criar produtos e serviços compatíveis para um futuro sustentável”, explicou Green em um blog post de apresentação do projeto.

Atualmente, o manifesto já conta com mais de duas mil assinaturas de representantes do setor, que compartilham deste compromisso com a sustentabilidade.

Os princípios do manifesto são:

  1. Limpo: uso de energias renováveis.
  2. Eficiente: usar o mínimo de energia e recursos materiais.
  3. Aberto: acessível para todos, mas resguardando o controle de informações pessoais.
  4. Honesto: nunca enganar ou explorar usuários por meio de design, ou conteúdo.
  5. Regenerativo: apoiar uma economia que nutre as pessoas e o planeta.
  6. Resiliente: funcionar nos momentos e lugares onde as pessoas mais precisam.

Para colocar todas essas premissas em prática, é preciso pensar como reduzir as emissões de CO2 do seu site por meio de técnicas de design e conteúdo.

Design sustentável

Tom Greenwood, empresário e entusiasta da causa, compartilhou dicas práticas e simples para ter um site mais sustentável na sua apresentação do Brighton SEO 2022, e todas elas podem ser aplicadas ao site da sua loja virtual. São elas:

  1. Use apenas imagens que comuniquem algo, não as use para preencher espaço;
  2. Use fontes que consomem menos energia para serem lidas: Times New Roman, Arial e Courier;
  3. Tenha um manual de design e mantenha as fontes e cores em todo o website;
  4. Opte por cores que consomem menos energia. Por exemplo, o azul é uma das cores que mais consome energia em uma página da web;
  5. Configure o Google Analytics e software de CRM para E-commerce apenas para obter dados relevantes, evitando o desperdício e redundância de dados;
  6. Reduza o peso (em KB) de todas as imagens usando ferramentas como ShortPixel ou TinyImages;
  7. Compartilhe a pegada de carbono do seu site e encoraje outros negócios a fazer o mesmo.

Conteúdo Sustentável

Eilish Hughes, Diretora de Contas de SEO, por sua vez, apresentou algumas soluções para sites e blogs com conteúdos mais sustentáveis. São elas:

Reduza, reuse e recicle o seu conteúdo

Conduza auditorias de conteúdo, ou content pruning, para evitar manter conteúdos no site que não têm relevância. Reuse, recicle ou delete páginas de conteúdo, reduzindo os esforços dos bots. 

Por exemplo: evite manter categorias ou produtos que foram descontinuados. Para peças esgotadas, você pode remover a indexação da página até ter a peça em estoque novamente.

Inclusive, um dos fatores de ranqueamento do Google no futuro pode incluir sites mais limpos! Isso já acontece atualmente com o Ecosia, um buscador sustentável, fundado em 2019, que já conta com mais de 15.000.000 de usuários e doa 80% de seus lucros para o reflorestamento. 

No buscador, marcas verdadeiramente ecológicas terão uma classificação mais alta e até recebem um ícone de folha na SERP.

Aposte na intenção de busca sustentável

Cada vez mais pessoas buscam termos relacionados à sustentabilidade. No Google Trends, as pesquisas relacionadas a ESG cresceram mais de 4.000% nos últimos 5 anos.

Ou seja, vale a pena mostrar que o seu negócio é sustentável e valorizar suas colaborações e preocupação com o meio ambiente através de FAQs Sustentáveis, por exemplo, ou landing pages que valorizem os projetos da marca em prol do meio ambiente e até mesmo com campanhas de automação de e-mail marketing, para evidenciar estes esforços.

Quer um ótimo exemplo do E-Commerce? A AMARO é uma empresa carbono negativo que sabe divulgar esse investimento. Além de inúmeras matérias em grande veículos de comunicação, a marca usa esse feito em campanhas publicitárias, newsletters para clientes e relatório de sustentabilidade para investidores.

E você já tinha parado para pensar na pegada de carbono do seu e-commerce e como diminuí-la? Conta pra gente nos cometários.

 

Artigo por Anna Carolina Neiva, especialista de conteúdo na edrone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 1 =