D2C: Três pilares da relação entre marca e consumidor final – Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico
Carregando...
Notícias

D2C: Três pilares da relação entre marca e consumidor final

D2C: Três pilares da relação entre marca e consumidor final

Por: Guido Carelli – CRO na Infracommerce

 

Guido Carelli CRO Infracommerce – Nos últimos 12 anos, tive a oportunidade de explorar uma diversidade de pensamentos, práticas, habilidades e áreas e fomentar uma curiosidade natural, uma objetividade orientada para resultados e uma abordagem de negócios orientada para as pessoas. Através da minha experiência em consultoria, explorei o poder de desafiar normas e impulsionar mudanças por meio de dados e análises. Também me mostrou que sou movido pelo movimento, devo estar sempre em busca do próximo desafio. Hoje tenho a responsabilidade e o privilégio de liderar equipes brilhantes da Infracommerce com nosso cliente para transformar sua rota em estratégia de mercado. Juntos, ajudamos a estabelecer conexões digitais entre marcas, indústria e seus consumidores, proporcionando experiências excepcionais para consumidores pessoais ou proprietários de empresas.

Como tudo o que é apresentado na NRF – Retail’s Big Show certamente vai ditar as relações de consumo ao longo do ano, as vendas diretas para o consumidor (D2C), tão faladas durante o evento em Nova York no mês de janeiro, é uma das tendências para o e-commerce em 2024.

Não à toa, muitas marcas e a própria indústria já têm apostado nessa estratégia de abrir lojas online próprias voltadas para o D2C. E muito do que se tem visto de evolução das vendas diretas para o cliente final vem sendo impulsionado pela presença de grandes marcas de vestuário, e de outros setores, no mercado digital.

Todo mundo tem a ganhar com o e-commerce D2C, tanto os donos de negócio quanto os clientes, e até mesmo os marketplaces, que experimentam uma jornada de vendas cada vez mais sem atritos com a Flagship Store. São nesses três pilares que vou me apoiar neste artigo para explorar o universo das vendas online D2C. Acompanhe e amplie seus conhecimentos sobre esse setor tão importante para o varejo.

D2C reforça o posicionamento de marca

O primeiro ponto que tenho a destacar é que o D2C reforça o posicionamento, a experiência e a percepção de valor de uma marca. Veja bem, quando você tem uma loja própria D2C, você tem o controle total da sua imagem e dos seus produtos perante ao mercado. Logo, você pode criar experiências únicas e condizentes com
a sua marca, guiando o modo como o cliente interage com ela.

Ali é o seu próprio espaço, onde as suas próprias regras prevalecem, em que as suas próprias campanhas são aplicadas. Tudo, absolutamente tudo, está em suas mãos. Assim, a sua essência é preservada e o consumidor passa a reconhecer isso em cada comunicação que chega até ele.

D2C amplia os pontos de contato com o consumidor

Por falar em consumidor, este é o segundo fator determinante para você apostar em uma estratégia de vendas online para D2C. Quando você tem uma loja online, você ganha um contato direto com o seu público, conhecendo ele mais a fundo e podendo extrair mais dados dessa interação que, posteriormente, podem se transformar em insumo para melhor desenvolver os seus produtos e a experiência do seu site.

Seja por meio de um atendimento via chat, ou pelos aplicativos de mensagens e redes sociais, você consegue “escutar” as reclamações, os elogios e as sugestões do seu cliente. Esse estreitamento do relacionamento possibilita um feedback quase que imediato dos seus produtos e da sua loja, e, com isso, é possível aprimorar a
experiência de compra para que o seu e-commerce D2C tenha uma performance ainda mais eficiente e rentável.

D2C reduz atritos com a venda em marketplaces

Apostando em uma loja D2C, você também reforça a presença estratégica da sua marca nos grandes marketplaces. Nos últimos anos, muito se falou de como as vendas próprias podem afetar as vendas em plataformas parceiras. Mas, com a recente escalada do D2C, a permanência em diversos canais de vendas tem se mostrado mais lucrativa do que estar em apenas um ponto de contato com o consumidor.

Os clientes são bombardeados diariamente com anúncios de todos os lados, principalmente com o direcionamento de conteúdo através da inteligência de dados. Então, se os seus produtos estiverem em um número maior de canais, maiores são as chances do seu público perceber a sua marca. E é claro, que com uma boa estratégia de negócio, você consegue comandar os diversos pontos de venda sem atritos entre cada um.

Adote o D2C como estratégia de vendas online

Depois de todos esses pontos, fica claro que o D2C é uma manobra muito bem-vinda para ampliar o alcance da sua marca no digital. O sucesso do seu modelo de negócio está em suas mãos no Direct-to-Consumer, e nada melhor do que ter o controle total da operação de vendas para conquistar resultados satisfatórios a curto, médio e longo prazo.

Em um mundo onde a experiência tradicional de consumo não basta para o cliente moderno, a vivência da sua própria marca é essencial para sustentar argumentos de venda sólidos. Tenha isso em mente para conduzir a jornada de compra D2C com escala, eficiência e inovação, tão necessária para o varejo em 2024.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + treze =