Carregando...
Notícias

Por onde começar um projeto de e-commerce?

Se o número de e-consumidores tem crescido todos os anos, motivado pelos fatores de comodidade, variedade, facilidade de pagamento, melhoria nos serviços de entrega e maior acesso à internet, podemos dizer o mesmo sobre o número de lojas virtuais. Desde o início da pandemia, 107 mil lojas aderiram à venda online de seus produtos no Brasil, o que fez o número quase dobrar no período, passando de 135 mil lojas ativas para 242 mil, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Infelizmente, muitas delas não conseguirão sobreviver ao primeiro ano por um simples motivo: falta de planejamento e de conhecimento de mercado. Neste artigo vamos discutir por onde começar um projeto de e-commerce, de modo que ele se torne sólido e rentável.

“Baseados na ilusão de que criar um e-commerce seja rápido e fácil, muitos empresários acabam iniciando o projeto de forma equivocada, ignorando a primeira e mais importante etapa no desenvolvimento de uma loja online: o planejamento.” Cristiano Chaussard

Quando um empreendedor decide criar um e-commerce pela primeira vez, ele geralmente traz consigo apenas o seu conhecimento de usuário, isto é, a experiência de comprador: a pessoa que acessa um site e realiza uma compra. Ele não sabe como a loja funciona do ponto de vista de um lojista.

É bastante comum, portanto, que os empreendedores iniciem um projeto de e-commerce escolhendo a plataforma de vendas, acreditando que somente essa parte da tecnologia será suficiente para gerar lucro. Sendo assim, eles não se aprofundam sobre o seu produto, o mercado, seus concorrentes, fornecedores e sequer conseguem prever o investimento necessário para colocar a loja virtual no ar e ter algum retorno financeiro.

Quando tratamos da criação de um novo negócio, seja grande, pequeno, físico ou online, ele deve sempre ser respaldado por conceitos de gestão e marketing aplicáveis a todos os tipos de projeto.

Sem um planejamento, as chances de fracasso são grandes. Segundo dados do IBGE, seis em cada dez empresas abertas em 2012 não conseguiram manter as portas abertas por mais de cinco anos. Falta de planejamento, falta de informação e falta de capacitação são apontados como os principais problemas. Para contornar esses obstáculos e não cair na estatística, o primeiro passo é desenhar um plano de negócio. Ao colocar no papel as informações práticas, com objetivos claros, você poderá ter uma visão ampla do negócio e estudar sua viabilidade, prevendo a solução para os problemas que poderão surgir. Uma ferramenta bastante usada para ajudar na elaboração plano de negócios é o Business Model Canvas (ou canvas de modelo de negócio) que reúne em uma única página informações estratégicas do projeto e permite que você visualize o encaixe estratégico entre as áreas do negócio.

Fonte: ComSchool

O canvas pode servir como uma boa base, mas é importante salientar que um não substitui o outro. O plano de negócios é mais completo e detalhado.

Um dos principais elementos do plano de negócios é a análise de mercado, afinal é fundamental conhecer bem o seu cliente, concorrentes e fornecedores. O primeiro passo é identificar o segmento de clientes que você irá atender. Ao entender as motivações e as necessidades humanas, é possível definir qual necessidade o seu produto satisfaz e a quem ele atende – o público-alvo. Tendo isso em mente, a partir da análise do seu nicho de mercado, seu plano de marketing deve conter a resposta às seguintes perguntas:

  • Quais são os problemas dos consumidores?
  • Quais são suas necessidades?
  • Quais fatores sociais definem seus interesses.
  • Existe demanda pela sua solução?
  • A ideia é viável tecnologicamente e culturalmente?
  • Você entrega valor por meio do seu produto?
  • O quanto uma pessoa está disposta a pagar – entregando algo que valoriza em troca (dinheiro, bens, tempo de trabalho, etc.) – para satisfazer essa necessidade?

Todas essas questões são respondidas por meio de ferramentas de marketing e registradas em um plano cujo objetivo é auxiliar os administradores a darem regras aos seus negócios baseados em troca de valor, equilibrando as equivalências entre produtos, necessidades do consumidor e a rivalidade entre os provedores das soluções.

Recentemente lançamos o e-book: “8 P’s do E-commerce”, que leva os conceitos evoluídos do Mix de Marketing aplicados ao e-commerce, para empreendedores que desejam entender melhor como planejar o seu negócio online e aumentar suas chances de sucesso.

Além da escolha da tecnologia, que corresponde não só a plataforma de e-commerce como também a servidores e armazenagem, gateway de pagamentos, ERP entre outros , o plano de negócio do seu novo projeto online deve abranger diversos outros pontos. Somente depois de ter essa estrutura completa é que seu e-commerce estará pronto para entrar no mercado.

  1. Mercado potencial
  2. Lucratividade esperada
  3. Fornecedores
  4. Estoque
  5. Abertura da empresa
  6. Nome e Identidade Visual
  7. Precificação
  8. Plataforma
  9. Meios de pagamento
  10. Meios de entrega
  11. Marketing
  12. Equipe
  13. Atendimento (SAC)
  14. ERP
  15. Jurídico
  16. Vendas
  17. Tributação

Por fim, lembre-se que no comércio eletrônico, conversão é sinônimo de vendas.  É necessário gerar tráfego (visitas) no seu endereço eletrônico e promover ações para que o cliente, ao entrar na loja virtual, não saia sem ter finalizado a compra.

Quando um comerciante investe em uma loja física, por exemplo, ele está em busca de um excelente ponto de vendas: boa localização, fácil acesso, conforto. No universo online, a visibilidade é a mesma para todos. Nenhum site que vai ao ar já é conhecido e consagrado pelo público. Para construir essa reputação, é necessário divulgá-lo. Por isso, além do valor do investimento para desenvolver sua loja online, é necessário ter uma verba destinada somente à divulgação.

Além do planejamento e da escolha da plataforma, o investimento em marketing é um dos pilares cruciais para se criar um e-commerce de sucesso. É preciso encontrar maneiras de fazer com o que as pessoas conheçam o seu produto, acessem o seu site e que ele seja encontrado com facilidade nos mecanismos de busca.

#

Ainda restam dúvidas por onde começar um projeto de e-commerce? Entender quais necessidades seu produto satisfaz e a quem ele satisfaz facilita não só a escolha da plataforma – afinal, você adotará aquela cujas funcionalidades são valorizadas pelo seu público – mas também torna mais fácil atingir o público certo. Quanto mais específico possível o perfil de cliente, tipo de produto ou serviço ofertado, faixa de preço, e demais características do seu modelo de negócios, mais chances de sucesso o seu projeto terá.

Um comentário
  1. JONAS ALVES DA SILVA

    Muito bom o artigo nos dias que estamos vivendo hoje muitas pessoas perderam seus empregos e buscam uma nova forma de se reerguer e o e-commerce tem muitas possibilidade, sempre tem alguém precisando do seu produto Parabéns pela matéria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 3 =