Carregando...
MERCADO DIGITAL

Tendências no e-commerce no pós-pandemia

Tendências no e-commerce no pós-pandemia

O Brasil é um dos países com mais usuários de internet do mundo, e isso acaba afetando também as estatísticas dos e-consumidores, que são os adeptos ao comércio virtual, o e-commerce. Neste ano de 2020, um ano em que a crise da pandemia de Covid-19, desencadeou um maior consumo online, também resultou em muitos lojistas que passaram a migrar para o e-commerce como consequência para manter a esperança de continuar efetuando suas vendas e deixando suas operações ativas. 

Quando falarmos em tendências, elas não se aplicarão somente ao futuro, mas também ao presente. Pois já estamos em tempo de transformação. Confira algumas mudanças que vieram pra ficar e já são realidade no varejo online: 

Online e em nuvem: 

Nunca se falou tanto de home office quanto neste ano. Apesar de muitas empresas já adotarem o sistema de trabalho, outros profissionais também aplicarem, foi uma mudança brusca para negócios que não estavam preparados. Se dúvida dispor de um sistema de gestão online e em nuvem é um grande facilitador, pois tira a barreira do trabalho em um único lugar. O profissional pode acessar o controle financeiro, estoque, logístico por qualquer dispositivo móvel e em qualquer lugar. 

Essa flexibilidade ajuda diretamente com a produtividade e o crescimento do negócio. Mas, para conseguir tudo isso, é preciso investir em tecnologia, como o cloud computing ou armazenamento de dados em nuvem. O ERP em nuvem é executado em uma plataforma com sistema global de servidores que operam em um único ecossistema, o que possibilita que toda informação fique devidamente guardada sem ocupar espaço no computador.

Transformação digital: 

Acompanhando os termos do primeiro item, que também fazem parte das ações de transformação digital, outra mudança será a ruptura entre o mundo físico e digital quando se fala em varejo, trabalho e até relacionamento. O e-commerce ganha cada vez mais força pela transformação que o mundo vai sofrer após a pandemia, o comportamento do consumidor tende a ser cada vez dinâmico e comprar online é uma possibilidade cômoda, fácil e cada vez mais acessível a mais pessoas. Vender online é uma soma de forças entre trabalho árduo de organização da plataforma, estratégias de venda, gestão dos setores internos e satisfação do cliente. A tecnologia está presente para nos auxiliar nesse processo e por isso é preciso contar com ferramentas que profissionalizem nosso negócio definitivamente. 

Mudança no comportamento do consumidor

Não é uma novidade o comportamento omnichannel do consumidor, ou seja, ele quer encontrar os produtos que deseja em qualquer plataforma, seja na loja virtual, nos marketplaces e também nas redes sociais. Se fazer presente como marca e negócio é importante para acompanhar esse consumidor que deseja, acima de tudo, boa experiência de compra (e isso inclui desde a pesquisa pelo produto, até a disponibilidade dos produtos, preço, frete e prazo de entrega). 

Ao mesmo tempo em que o e-commerce passa a ser uma oportunidade de empreender, também ocorre uma carga enorme de novos lojistas, e os marketplaces passam a ser referência para os consumidores para delimitar onde comprar.  O consumidor entendeu na prática as facilidades do e-commerce, e deve substituir boa parte de suas compras presenciais no pós pandemia, por compras online.

Novos hábitos 

Todo o movimento de migração de negócios para o e-commerce, empreendedores online, novos consumidores também surgiram e vieram pra ficar. A transformação digital já mexeu com os formatos como fazemos muitas coisas e no varejo, uma lição é que deixada é que tudo está interligado. O comércio passará também a oferecer mais experiências híbridas, como compre no site e retire na loja, ou conheça na loja e compre pelo site. 

Reinvenção na forma de vender

Todas essas transformações moldaram um novo consumidor, mas também um novo vendedor. É preciso estar atento a tudo o que está acontecendo ao seu entorno, e trazer novidades aos cliente. Os setores de estoque e logística passam a ganhar maior destaque, pois impactam diretamente a decisão de compra do cliente.O seller deve, integrar suas áreas internas através de um sistema de gestão, para proporcionar melhor experiência ao consumidor, do pedido até a entrega. 

Além disso, deve reforçar o atendimento personalizado via redes sociais e  whatsApp. Para o consumidor é um meio facilitador de ter informações sobre os produtos e serviços, visualizar imagens e ter influências diversas para aquela compra. 

As mudanças causadas pela pandemia do novo Coronavírus certamente deixará suas marcas, assim como já está mudando nossos hábitos de vida em todos os âmbitos. Ou você era do time que já lavava latas vindas do supermercado? Escolhia pedir delivery ao ir até o restaurante? Fazia todas as suas reuniões online? 

O período já deixa seus rastros e grandes mudanças ainda estão por vir. O e-commerce é um dos canais que ganhou mais adeptos no mundo todo, principalmente em itens considerados essenciais, e antes adquiridos mais comumente de forma presencial: comida, farmácia, itens pessoais. 

É também momento de educar o cliente ao formato de compra, que também está vencendo o medo de comprar online produtos que ele normalmente compraria pessoalmente. Os caminhos possíveis são muitos, mesmo sendo cedo para dimensionar como será a nossa vida após esse período, é possível entender que são mudanças estruturais que marcará nossa sociedade para sempre. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 4 =