Como as empresas industriais podem colocar o comércio eletrônico no centro de sua estratégia de crescimento? – Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico
Carregando...
MERCADO DIGITAL

Como as empresas industriais podem colocar o comércio eletrônico no centro de sua estratégia de crescimento?

Como as empresas industriais podem colocar o comércio eletrônico no centro de sua estratégia de crescimento?

Inúmeros avanços tecnológicos tornaram o mundo um lugar menor, e é hora de você aproveitar as oportunidades e dar um forte impulso ao seu negócio.

Embora a maioria das empresas industriais ainda esteja no início de seus esforços de marketing e vendas digitais, os benefícios potenciais são claros. O marketing digital orientado por análises pode ajudar a identificar novas oportunidades de clientes, e melhorar as recomendações de produtos. As ferramentas digitais podem fornecer informações sobre o mercado e a base de clientes que permitem às empresas otimizar preços, e aumentar a receita. E o gerenciamento cuidadoso das interações digitais com os clientes por meio de sites, chatbots e outras ferramentas pode melhorar a experiência geral do cliente e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência, as vendas e o crescimento da receita.

O cenário de fornecimento de produtos online mudou.

Sobretudo, as indústrias podem realizar vendas B2B e B2C através de uma loja virtual.

Quais produtos as empresas industriais devem oferecer online?

As empresas industriais tendem a ter portfólios de produtos extensos, com ofertas que abrangem muitas categorias; nem sempre é viável vender todos os produtos por meio de canais digitais. Ao selecionar suas ofertas online, as empresas devem ter em mente seus objetivos estratégicos gerais.

Segundo o Statista, as vendas B2C estão projetadas para crescer para $ 6,38 trilhões de dólares até 2024, e o mercado B2B chegará a $ 25,65 trilhões de dólares em 2028. O comércio eletrônico beneficia muitas empresas B2B e B2C. Embora a maioria das empresas modernas possa se beneficiar de transações online, alguns setores precisam de recursos de comércio eletrônico mais do que outros.

Indústria da moda e vestuário

Ao reduzir os custos operacionais e oferecer mais conveniência, o comércio eletrônico beneficia tanto os varejistas de vestuário, quanto os consumidores. Estar entre as principais indústrias de comércio eletrônico, torna essencial ter uma plataforma de comércio digital moderna para se manter competitivo e atraente no mercado. Por exemplo, permite que as marcas interajam com os clientes em tempo real para aumentar suas vendas online.

Conheça o novo comportamento do comprador B2B

À medida que a atividade de compra online aumenta, as oportunidades de vendas face a face estão diminuindo.

Um relatório do Gartner descobriu que os representantes de vendas com maior probabilidade de vencer são “mais focados em ajudar os clientes a classificar as informações prontamente disponíveis – agindo como um ‘conector de informações’.

Considere o volume de pesquisa

Embora os produtos mais vendidos gerem muitas pesquisas online, há muita concorrência para classificar essas palavras-chave nos mecanismos de pesquisa. Você pode ter mais sorte com produtos que ainda são populares, mas têm palavras-chave de baixa concorrência.

Alimentos e refeições

As pessoas sempre gostaram de comer e não há fim para seus desejos. Seja a barraca local de lanches do seu bairro ou uma lanchonete famosa. Não há fim para os desejos das pessoas e elas sempre adoraram ir a qualquer distância para saciá-los. O surgimento do comércio eletrônico superou a distância entre as pessoas e seus desejos, entregando seus alimentos favoritos em suas portas. Isso levou a um crescimento significativo na indústria de alimentos online, juntamente com a introdução de outras indústrias aliadas, como processamento de alimentos, embalagens de alimentos e assim por diante. Atualmente, 40% das pessoas pedem comida online (Shiprocket). Que tal começar um restaurante que recebe pedidos online e entrega comida aos clientes?

Tradicionalmente, as indústrias fabricam seus produtos e os vendem ou armazenam com um varejista para vender em seu nome. No entanto, com os clientes fazendo a maior parte de suas compras online hoje em dia, muitos fabricantes perceberam o potencial de ganhar dinheiro com uma presença online. Alguns foram ainda mais longe para eliminar completamente o intermediário.

Conteúdo desenvolvido por Josele Delazeri – CCEO da Get Commerce, e diretora de conteúdo ABComm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =