Pesquisa: Logística no E-commerce Brasileiro 2019 – Abcomm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico
Carregando...
Pesquisas

Pesquisa: Logística no E-commerce Brasileiro 2019

INTRODUÇÃO

A logística no e-commerce continua sendo fator chave de sucesso entre as lojas virtuais brasileiras.
A ABComm, comprometida com a qualidade do setor e na defesa da competitividade de seus associados, realizou a quarta onda da pesquisa: Logística no E-commerce Brasileiro.
A primeira onda foi em junho/2013, a segunda em agosto/2015 e a terceira em julho/2017.
A pesquisa considera três pontos da logística: Armazenagem, Transportes e Manuseio.

 

Preencha o formulário abaixo para receber a íntegra da pesquisa


METODOLOGIA

  • Foram coletados 467 questionários válidos no campo online entre 22 e 29 de abril de 2019.
  • A amostra é composta por empresas de varejo de bens de consumo e os resultados ponderados de acordo com o porte da empresa.
  • Considerando um Universo de 31 mil lojas virtuais ativas no Brasil*, a Margem de Erro da pesquisa é de 6% com Grau de Confiança de 95.
  • A pesquisa foi feita pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico em conjunto com a ComSchool.

* Fonte: ABComm, 2019

 

MODELOS DE NEGÓCIOS

Pure Player: vendo somente online 44%
Multicanal: vendo em ambos canais 37%
Indústria: vendo online no B2C 12%
Distribuidor: vendo online no B2C 6%

 

ARMAZENAGEM

Houve variação no tipo de armazenagem utilizado. A maior parte das lojas virtuais ainda prefere fazer sua própria armazenagem. Custo mais baixo e maior controle sobre a operação são as principais vantagens. Baixa elasticidade em datas sazonais e menor poder de barganha com
transportadoras são desvantagens. Empresas com armazenagem terceirizada, conseguem operar a partir de outros estados, com menos complicações na partilha do ICMS.

Como é a estrutura da sua operação de armazenagem

 

ARMAZENAGEM

A pesquisa também avaliou o volume de lojas virtuais que trabalham com estoques consignados (dropshipping). Houve um aumento na quantidade de lojas virtuais que operam parte do catálogo em dropshipping, com consequente queda de lojas virtuais oferecendo todo o
catálogo compartilhado, porque aos poucos vão aprendendo com a curva de demanda e operando com estoque de produtos de alto giro (curvas Ae B)…

Você tem estoque compartilhado com fornecedores(modelo de consignação ou dropshipping)?

 

CUSTOS LOGÍSTICOS

O frete continua sendo o maior responsável pelos custos logísticos no e-commerce, com 65,9%. A participação desse custo cresceu em relação a 2017, frente ao aumento frequente nas tabelas dos Correios e nos custos diretos das transportadoras (combustível, seguro e mão-de-obra).
Investimentos em automação, processos e capacitação da equipe, trazem mais performance no manuseio e consequente redução de custos operacionais.

Qual a participação dos custos logísticos no seu negócio?

 

TIPO DE FROTA

Que tipo(s) de frota(s) sua empresa utiliza?

 

Continua forte a tendência no aumento de lojas virtuais em busca dos serviços das transportadoras privadas. Por outro lado, houve redução na utilização de frota própria (custo elevado) e aumento na dependência no uso dos Correios, devido principalmente ao crescimento na participação das micro e pequenas empresas nas vendas de marketplaces.

 

TRANSPORTADORAS

Qual a participação das transportadoras para seu e-commerce?

As lojas virtuais continuam na busca de reduzir sua dependência com os Correios. Houve queda na participação de frota própria e aumento na dependência dos Correios. Quando analisamos empresas com faturamento acima de R$ 10 milhões/mês, o percentual de uso dos Correios diminui para menos de 30%.

 

CORREIOS

O fim do e-Sedex foi uma grande perda para o e-commerce brasileiro. Muitas lojas migraram inicialmente para o Sedex, mas em função do custo alto, voltaram para o PAC e continuam em busca de serviços de transportadoras privadas. A partir desse ano, passamos a incluir também os gastos com embalagens, que representam cerca de 14%.

Que tipo de serviço você utiliza dos Correios ?

Quando perguntados sobre o nível de serviços, a satisfação dos lojistas virtuais brasileiros com os Correios continua baixa. Quase um terço dos entrevistados (30,9%) considera os serviços péssimos ou ruins.

 

Quais os principais problemas enfrentados com os Correios ?

O atraso na entrega deixou de ser o principal problema enfrentado pelas lojas virtuais frente aos Correios. A principal reclamação passou a ser “Preços abusivos” (contra os quais a ABComm tem uma ação contra os Correios). A demora e o mau atendimento também precisam ser revistos. Outro problema grave é a falta de segurança: furtos e extravios ocorrem com frequência.

 

TRANSPORTADORAS PRIVADAS

Considerando as lojas virtuais que contratam os serviços de transportadoras privadas, elas utilizam em média 2,6 transportadoras diferentes (contra 2,3 em 2017).

Quais as principais transportadoras privadas que você utiliza ?

 

A tendência no número de lojas virtuais que contratam transportadoras por região, se estabilizou. Isso mantém o amadurecimento do mercado em trabalhar com diferentes empresas. Ao gerenciar tabelas de fretes por região, a loja virtual reduz custos e aumenta a qualidade dos serviços prestados aos seus clientes.

Você utiliza diferentes transportadoras por regiões ?

FRETE

Quem paga o valor do frete?

Em mercados maduros as lojas virtuais cobram pelo frete. No Brasil diminuiu o número de lojas virtuais que “embutem” o valor do frete no preço, ou subsidiam parte do custo.

 

O principal motivador de oferecer frete grátis continua sendo o aumento na taxa de conversão. A estratégia de frete grátis, quando bem usada, pode auxiliar a aumentar o tíquete médio da compra.

Por que você oferece frete grátis ?

 

Apesar do frete grátis ser uma ferramenta para aumento das vendas e do tíquete médio, deve-se tomar cuidado e usa-lo com inteligência.

As lojas virtuais aumentaram o valor mínimo para frete grátis. O tíquete médio do frete grátis aumentou de R$ 170,00 em 2013 para R$ 255,00 em 2015, R$ 266,00 em 2017 e R$ 351,00 em 2019.

O frete é grátis para pedidos acima de qual valor ?

 

PRAZO DE ENTREGA

Na contramão do e-commerce mundial, onde o prazo tende a ser reduzido, no Brasil os pedidos demoram cada vez mais para chegar na casa dos consumidores. Houve aumento no prazo de entrega para Rio de Janeiro Capital e Porto Alegre.

Qual o tempo médio de entrega (em dias) para cada uma das regiões abaixo?

 

AINDA HÁ MUITO A MELHORAR

As lojas virtuais perceberam que prometer prazos de entrega apertados, pode significar problemas de reclamação, arranhões em sua imagem nas redes sociais e até mesmo processos jurídicos.
O Rio de Janeiro continua sendo o maior concentrador de problemas nas entregas.

 

LOGÍSTICA REVERSA

Em 2019 Mais de 60% das lojas virtuais entrevistadas apresentam taxas de devolução abaixo de 3%. A variação é grande entre categorias. A taxa média de devolução que em 2015 era de 4,17% diminuiu em 2017 para 2,7% e voltou a subir em 2019 para 3,98%.

Qual o percentual aproximado de devoluções de produtos ?

 

NOVOS MERCADOS

A boa notícia: aumento na internacionalização via e-commerce, também conhecida como e-commerce cross border. Assim como há milhões de consumidores brasileiros comprando em lojas virtuais estrangeiras, conseguimos aumentar o número de lojas virtuais vendendo para outros países. Cerca de 25,2% das lojas virtuais entrevistadas disseram que já enviaram produtos para o exterior, contra 16% em 2015.

Você já despachou mercadorias para outros países?

 

 

DATAS SAZONAIS

A Black Friday já é a data mais importante para as lojas virtuais brasileiras. 78% dos lojistas entrevistados apontaram essa data como mais importante do ano. Segundo dados da própria ABComm, cerca de 33% das compras da Black Friday são pessoas antecipando as compras de Natal, o que acaba canibalizando as vendas natalinas.

Quais os melhores períodos sazonais de vendas ?

 

UM PROBLEMA HISTÓRICO

Se compararmos a malha rodoviária brasileira de 2019 com a dos Estados Unidos em 1955, fica claro que há um gargalo no Poder Público. O preço pago pela corrupção, irresponsabilidade e falta de planejamento afeta todos os setores da economia, não só o e-commerce.

 

Agradecimento Especial às Empresas Mantenedoras ABComm 2019

 

SOBRE A ABComm

Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) surgiu para fomentar o
setor de e-commerce com informações relevantes, além de contribuir com
políticas públicas e capacitação.

A ABComm é o mais representativo órgão ao governamental em defesa do e-
commerce brasileiro e uma das cinco maiores entidades mundiais, com mais

6.500 empresas associadas, entre lojas virtuais e prestadores de serviços nas
áreas de tecnologia, mídia e serviços financeiros.
Participe: www.abcomm.org

 

 

 

SOBRE A COMSCHOOL

A ComSchool é especializada em cursos de e-commerce, marketing digital, redes sociais e transformação digital.
Os cursos podem ser feitos presencialmente em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Florianópolis, e Porto Alegre ou a distância de qualquer lugar do mundo.
Com sete livros publicados na área, mais de oito mil profissionais formados por ano, com um quadro de 200 professores entre os quais, donos de agências, autores de livros, CEOs, diretores de empresas e renomados consultores.
Mais informações: www.comschool.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =